Postagem em destaque

Bem Vindo!!!

Bem vindo ao meu espaço de divulgação da minha arte e também da minha vivência como ser humano criativo!!! Aqui vocês encontrarão não só u...

13 de fev de 2012

Benefícios da Dança – Aquele que ninguém diz


É muito comum lermos uma série de textos, artigos e reportagens relatando os inúmeros benefícios da Dança do Ventre. Benefícios ao corpo físico que melhoram nossa musculatura, flexibilidade, funcionamento do organismo, queima de calorias e etc, benefícios no plano mental relatando a diminuição do stress, e melhora da coordenação motora. Benefício no plano emocional, ligados a auto estima, o amor próprio, a TPM e a plenitude de ser mulher

A lista destes benefícios é bem grande, mas pela minha experiência na prática da dança, nestes últimos 20 anos o maior e melhor benefício que a dança do ventre me trouxe foram as amizades.

Tive amigas na escola, faculdade, empregos, amizades muito boas mas que se foram com a distância, não que deixaram de ser amigas, mas perdemos o contato. Entretanto as amigas que fiz na dança, nunca mais se foram, mesmo distantes estão sempre perto, é como se tivéssemos realmente um pacto de sangue, o que me fez pensar um tanto sobre o assunto. Então concluí que a dança traz este benefício também, pois na dança encontramos pessoas que realmente tem a mesma sintonia, a mesma filosofia de vida, afinidades verdadeiras, afinidades de alma.

Na escola, no trabalho e na família também temos amizades, mas na dança as amizades se tornam mais profundas pois dividimos não só uma sala de aula ou um palco, dividimos nossas emoções, nossos medos, nossas fragilidades e nossas virtudes de forma aberta e clara.

Quando alguém procura uma aula de dança do ventre, raramente procura somente por achar a dança bonita ou para querer fazer um exercício físico. Mesmo que inconscientemente, a mulher que quer aprender dança do ventre quer também saber mais sobre ser mulher, quer resgatar valores femininos de um passado muito remoto no qual nossas civilizações eram matriarcais, quer resgatar o elo feminino e a união que nossas ancestrais possuíam e que hoje em dia é tão raro, quer entender as ansiedades da sua alma e encontra no contexto das aulas e da dança mulheres que tem estas mesmas ambições.

Quantas vezes não escutamos uma colega dizer que a amizade entre homens é mais sincera, ou que uma colega quis sabotar outra para lhe roubar um namorado, ou cargo ou mesmo status social. Eu sinceramente não acredito que a mulher seja este ser ardiloso e cheio de maldade e que vivem isoladamente, acredito somente que mulheres que agem desta forma o fazem por não terem encontrado um equilíbrio no seu eu interior, assim como alguns homens também agem desta forma . As mulheres da atualidade precisam perceber em primeiro lugar que são mulheres, são diferentes dos homens e não precisam agir ou pensar como eles.

Nas aulas de dança do ventre (pelo menos as que ministro e as que frequentei) isso fica bem claro, somos diferentes, podemos nos unir, podemos ter emoções, podemos rir e chorar ,podemos errar, podemos ter quilos a mais ou a menos, podemos ter prazer e nos aceitar da forma que somos, nos sentir bonita, elogiar a outra, ser nova ou velha, ser branca, oriental ou negra. Podemos sentir, ficar descalças e perceber a energia que vem da terra e invade nossos ventres, podemos ser livres e demonstrar nossos sentimentos de verdade, ser cúmplices das nossas fraquezas e testemunhas das nossas glórias, e assim vamos criando um elo com cada companheira de dança que é difícil de romper, vai nascendo um vínculo construído com grandes e fortes alicerces, um vínculo baseado em verdades profundas das nossas almas, um vínculo o qual chamamos de  AMIZADE!

Com muita emoção e recém chegada de Natal/BR onde reencontrei amigas, irmãs de alma, trazidas para minha vida pela dança, dedico este texto para Regina Silva, Vanessa Abílio e Denise Mussio que transformaram esta viagem num encontro inesquecível, e também a Claúdia Parolin e Naira Gios que, mesmo fisicamente ausentes, estavam muito presentes nas nossas lembranças.

Dedico também a todas as professoras e alunas do Pandora Espaço de Danças, que transformam a minha diária labuta em fonte de imensos prazeres e realizações como ser humano!

Uma linda semana a todas!!
Minhas amadas amigas no dia do meu casamento - Amo vocês

13 comentários:

  1. Verdd Cris ! No sáb. mesmo comentávamos isso com a Cristiele (Aisha), as amizades da turma da dança são vínculos fortes. Bjs. E bacana vc estar escrevendo + !

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi, que saudade de vc, mande bjs para Aisha! Tinha dado uma desanimada e parei de escrever por um tempo, mas agora estou de volta com pique total!! bjssss

    ResponderExcluir
  3. Que orgulho dessa teacher! Adoro suas palavras, são tão sinceras e nos preenchem o coração. São sábias e relatam direitinho o que sentimos. Agradeço por tê-la encontrado neste caminho da vida.

    ResponderExcluir
  4. Cris nao consegui colocar meu comentario entao vai por aki!!!
    Cris não sou sua amiga pessoal mas admiro seu trabalho!!
    Tbem construi grandes amizades através da dança e agora com o E-ventre!! Gente de verdade que chora, ensaia, curtem e se emocionam no momento de dançar! estas pessoas transmitem isso na dança atraves da alma !! são pessoas dubem!! E vc é uma delas!!!! Obrigada por nos proporcionar aquele solo!!! bjokas

    Debys

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Debys, seja bem vinda, tb admiro seu trabalho, o eventre apareceu para mim num momento muito importante, e por isso te copiei no email, pois não poderia deixar de te agradecer pelo lindo evento que organiza e a forma como organiza!! parabéns, e dia 10/06 estaremos lá!! bjssss

      Excluir
  5. Achei o texto de uma profundidade impar. Expressou em uma so palavra toda a verdade do que é a dança do ventre. Amizade. E de fato, poucas mulheres sabem e sentem que quando estamos numa aula de dança do ventre, expomos nosso intimo, revelando nosso verdadeiro ser. E transformamos isso em dança. A maioria das escolas nao trazem este conceito para aula. Simplesmente "jogam" a tecnica, muitas vezes de forma desapegada com todo o contexto arabe que deveria também ensinar. Resgatar a mulher que em algum milênio perdimos e fomos. Sabe, Cris, as vezes a sociedade atual massacra esta mulher e força a competir de igual com o homem. Dai ela fica "masculinizada". Amei tudo que escreveu e amei a foto do seu casamento. Vc tava linda..... baci

    ResponderExcluir
  6. Oi Cris, muito legal sua observação! É assim mesmo, criamos uma ligação de alma, irmanadas no gesto artístico, na beleza, na suavidade e no encanto da dança!!! Somos muito lindas, não???? bjjs
    Livia

    ResponderExcluir
  7. Cris, gostei bastante do texto. Suas palavras foram verdadeiras e comovedoras. Fico feliz de fazer parte do Pandora e ser considerada sua "amiga". Bjs no coração.
    Factima

    ResponderExcluir
  8. Cris, gostei muito de suas palavras. Elas foram expressivas e sinceras. Fico feliz em fazer parte do Pandora e de ser considerada sua "amiga". bjs no coração.
    Factima

    ResponderExcluir
  9. Cris, amei a homenagem, mesmo ciente após o puxão de orelhas!rsrsrs
    É um "pacto do ventre".
    Amo vocês, de coração e tudo o mais.
    Beijos saudosos.

    ResponderExcluir